The Horrors: do punk ao new wave (moderno?)
October 04, 2016 - Tags: Arte, Música

the-horrors

Existe uma banda linda linda chamada The Horrors e eu não consigo entender porque ninguém conhece e ela não bomba. Então a missão desse post  é apresentar a banda e dizer porque eles são demais.

Mas e aí, quem são esses caras estranhos que, pela foto do post, fazem jus ao nome?
The Horrors é uma banda britânica que começou em 2005 (isso talvez explique o look meio emo no início da carreira dos moçoilos) que mixa punk, com pós-punk e new wave. Sim! A banda em si é uma linha do tempo da “evolução” do punk ao longo dos anos 70 até 2000.

Dá para ver claramente isso só seguindo a linha cronológica de álbuns dos rapazes. Em 2007 veio o lançamento do 1º CD , um “punk moderno góticuzin”, cru e meio barulhento: Strange House . O álbum que não é meu favorito já mostra pelo menos a que a banda veio ao mundo: fazer barulho, mas um barulho com melodia.

No 2º CD, Primary Collors, os horrores deixaram mais de ladinho a “revolta 100%”, afrouxou a maldade e botou uns sintetizadores delicinhas, caminhaaando para um pós-punk. Essa música que já abre o álbum bota qualquer plateia para pular:

O instrumental do The Horrors é supersimplão. Então por que, meu Deus do Céu, é bom? A música dos caras parte do feeling, da melodia boa, que prova que música boa não precisa ser difícil.  Em Primary Collors é mais perceptível as influências de bandas como Joy Division. O diferencial  é o uso do querídissimo sintetizador, que bota um pó mágico em qualquer música.

the-hroros2

2011 chegou e aí a banda somou o barulho cru de Joy Division com o romantismo de bandas oitentistas como Echo and the Bunnymen e lançou o 3º álbum SkyingStill Life é uma das melhores. Fique com a versão ao vivo que traz a diva Florence and the Machine cantando com o vocalista Farris Badwan e sua voz grave.

Por fim veio o Luminous, CD de 2014 com um apelo mais popzinho e melodias mais suaves. O CD parece concluir a sequencia “punk-new wave” e prova que The Horrors não é banda de um CD só, mas sim daquelas bandas que te fazem aguardar ansiosamente pelo próximo trabalho porque, sem dúvida, será bom.

Agora bota os fones e sintoniza no meu TOP 3:

A fofura em forma de rock moderno:

Hino para teenager deslocado:

Para dançar:

Pronto, já podem virar fãs e me ajudar a vê-los ao vivo de novo.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário