Uma sessão de terapia
May 09, 2017 - Tags: Textos

“Por que não faz um blog?”, perguntou ela. Sentava confortavelmente na sua poltroninha de veludo e abraçava o travesseiro, assim como eu.

Não sei o que há com salas de terapia, mas os travesseiros nas poltronas devem ser essenciais. Se não tem travesseiro, abraço minha bolsa  jazida no colo e fico parecendo uma criança que não quer largar do bichinho de pelúcia. Mas ainda bem que na sala daquela ali tinha travesseiro.

“Eu tenho um blog”.

“Ah!”

“Mas não é profissional. Não é jornalístico. Não faço dele meu portfólio”

“Entendi. Qual é o nome?”

Silêncio.

Mordo a boca.

“Hum… não quero falar”.

“Por que não?”

“Porque é muito pessoal”.

“Você mostra o blog para mais alguém?”

“Sim.”

“E para mim, que sou sua terapeuta, você não quer mostrar.”

Foi uma afirmação, mas fingi que fora pergunta.

“Não.”

 

Ah, as ironias da vida.

 

Espero que Freud explique isso.

 

Deixe um comentário

Deixe seu comentário