Sozinha muito bem acompanhada
February 03, 2016 - Tags: Devaneios, Textos

Acho que é normal quando terminamos um namoro lembrarmos só das coisas boas quando bate a saudade, como o Tom fez com a Summer. Mas hoje me lembrei da fala da irmã mais nova do Tom, a Hit Girl, que quando olhar para trás é importante lembrar também das coisas ruins. E apesar do meu coração estar mole e cansado e eu querer chorar (sem comer chocolate porque até a vontade de comer se foi), resolvi lembrar dessas coisas ruins. Na verdade da coisa ruim.

Mesmo se ele voltar eu vou continuar me sentindo sozinha. O que é irônico uma vez que, ultimamente, parece que me sinto sozinha por sua ausência. Mas me lembrei de que não, a diferença é que eu me sentia sozinha, mas sabia que ele, mesmo distante em seu casulo, ao menos estava do meu lado. Agora eu só estou sozinha e tudo o que tem do meu lado é um copo do Homem Aranha.

O desafio, na verdade, é tentar compreender até que ponto um par pode te fazer se sentir completo. Até que ponto estar com alguém pode suprir sua solidão. O maior desafio pra mim, e que espero um dia tentar vencê-lo, é saber se a outra pessoa tem realmente a obrigação de me fazer me sentir completa. Ou não.

Mas como assim, ou não?

Ou não porque já ouviram falar de que é impossível amar alguém não estando bem com você? Pois é. O desafio maior ainda é saber se você se sente sozinho porque não se ama, e assim deposita no outro todas as expectativas de te fazer se sentir alguém melhor do que se sente.

No momento não tenho essas respostas, só sei que em meio a esse vazio saudoso penso que é melhor me sentir sozinha estando de fato sozinha.

Deixe um comentário

Deixe seu comentário